quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

“Suas atitudes falam tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz." (Ralph Emerson)

Porque é tão mais fácil acreditar numa mentira boa que numa verdade não tão boa?


3 pessoas dizem: Nós tínhamos tanta certeza daquele amor, aquele nos fazia felizes, completos, mas ele sempre queria mais, e, dentro de sua cabeça tinha uma incerteza, o mesmo era o que dava tanta certeza daquilo, aquele que demonstrava mais, aquela que saiu."

O menino resolveu viver uma ilusão, pensando que iria ser melhor pra si, mas pensando só em si, trocou então 3 amigos de verdade por 6 de mentira, 3 até então pra sempre, por 6 até um certo tempo, que em três dias, já diziam o amar. Deixou os que sentiam amor por ele de verdade, sentindo a dor do silencio, da solidão, da traição, e partiu chorando, sem certeza do que queria, mas os 3 garantiam tudo de bom, tudo que ele não tinha antes, ele iria fazer tudo que não fazia antes, literalmente, por isso não voltava atrás, pensou em voltar, mas os outros 3 queriam deixa-lo ter certeza do que queria, pra ele pelo menos, alguma hora de sua vida, tentar pensar sozinho, como se tivesse sido assim. Um dia depois de algumas lágrimas, ele parou de chorar, e viu que aqueles 3 não valiam a pena mesmo, que eles eram fracos, e não sabiam viver a vida como os 6 sabiam, e que ele iria começar a viver desde então. Então chegou entre os 6, foi tudo perfeito pra ele, ele nunca se sentiu melhor, esqueceu os outros, deixou-os pra la, e se envolveu totalmente só entre os 6,e dane-se o resto, pensando que os 6 os amavam mais que os 3, foi "atrás deles", o que eles faziam, ele fazia também, se eles bebiam ele bebia em dobro, se eles saiam, ele ficava até mais tarde, mas sempre um deles ficava junto dele, pra dizer que era o que mais amava ele, e pra iludi-lo mais ainda, porque estes 6 não eram maus, só não sabiam amar alguém de verdade, e nem sabiam se divertir, mas fingiam isso, se enganavam e enganavam os outros, só pensavam neles mesmos, e até então ele não sabia disso, e ao longo do tempo foi virando "da mesma laia" que os seis, que, agora, junto com ele, eram 7! Quando ele relembrava os velhos tempos com os 3 via que era feliz, mas pouco tempo depois de pensar mais um pouco, descobria que é mais feliz agora, e que tem mais certeza agora, mas ainda gostava muito dos 3, isso que dava raiva à ele, então ele resolveu esquecer de uma vez por todas esses, e começou a andar e fazer as mesmas coisas que os 6 a qualquer custo, deixou mãe, pai, família, foi viver com os "sem futuro", mas os que sabiam viver ! Ele se enganou tanto, viu que estava se enganando, mas foi tanto que ele conseguiu mas já tinham passado 4 meses e os 6 começaram a brigar com ele, coloca-lo pra baixo e chama-lo de besta, idiota, covarde, pelo simples fato que os 6 enjoaram dele, os 6 achavam as suas atitudes ridículas, que ele não sabia a hora de parar, que ele só fazia merda, e que ele era um otário, pela primeira vez, cada um dos 6 olhou para os olhos de alguém falando alguma coisa sincera, olharam fundo nos olhos dele e disseram: "sai fora, seu otário!" Ele não acreditou naquilo que estava ouvindo, ele achou que era mais uma das brincadeiras de seus amigos, e de suas namoradas, mas era verdade, e dois minutos depois ele viu que era, mas tinha uma delas que era especial pra ele, que sempre dizia que o amava, e que sempre estava do lado dele, dizendo o que ele tinha que fazer, ele olhou pra ela e disse: "você não vai fazer isso comigo né?" Ela então respondeu, com um sorriso sarcástico: "Foi legal cara, mas..." Ele então olhou pra cada um deles com um olhar que dizia: "Mas nós vivemos tanta coisa juntos, lembra daquelas promessas, da diversão, das meninas, sempre coloquei vocês em primeiro lugar na minha vida, eu amo vocês, até troquei os meus 2 antigos melhores amigos e minha antiga namorada por vocês, vocês não podem fazer isso comigo." Mas, um minuto depois, o silencio disse pra ele que sim, eles podiam fazer isso com ele, então ele não pensou duas vezes, virou as costas e saiu, com os olhos cheio de lágrimas, lágrimas de raiva, raiva dele, que é o culpado de tudo isso, que tomou a decisão mais errada de sua vida, que o fez ser um verdadeiro merda. Então, ele percebeu que estava indo a caminho de sua antiga casa, casa em que sua mãe morava, ele parou em uma praça que sempre parou pra pensar na vida feliz que ele tinha, e que agora, está o oposto, mas, parou pra pensar: "Eu não posso aparecer em casa, com essa cara, não tenho coragem de aparecer la depois de tudo que eu fiz, o que eu faço?" Então abaixou a cabeça e começou a chorar, sem parar, os 3 que até hoje eram amigos, iam também nesta praça pra pensar, e em algumas vezes, chorar com saudades dele, então, sua ex namorada passou pelo lado da praça, e o viu chorando, ela, que estava mudada, mais bonita, mais madura, olhou para a praça e relembrou, mas, quando viu, tinha alguém chorando, alguém que ela conhecia, ou pelo menos achou que conhecia no passado, então ela olhou denovo para ter certeza, e era ele, ela pensou em se aproximar, mas ele não a tinha visto, mas ela considerou o tempo que eles se conheciam, os momentos, e as forças, se aproximou, e sentou ao seu lado, automaticamente ele limpou as lágrimas, e levantou a cabeça para ver quem era, e era ela, de cabeça baixa também, com os cabelos por cima do belo rosto, ele então colocou os cabelos dela atrás das orelhas para poder olha-la, ela levantou a cabeça e com a voz de choro perguntou: "por que?" ele abaixou novamente a cabeça, com vergonha de si, e falou: "Eu não sei." ela se levantou e enxugando as lágrimas disse: "Não sei nem por que parei aqui, depois de tudo que você fez comigo, com nossos amigos, e sua família não deveria nem falar com você.", Ele levantou também, e tentou dar um beijo nela, como sempre fazia quando brigavam por bobagens no passado, mas ela não quis,e ele ela olhou pra os olhos dele e disse: "Eu sinto nojo de você." ela virou as costas e saiu andando. Ele ficou parado por alguns segundos, não conseguia falar ou pensar, depois de ouvir aquilo vindo dela, mas quando viu ela indo embora não conseguiu fazer outra coisa que não fosse correr atrás dela, afinal, era a ultima chance de ele tentar se desculpar, ele tinha que pelo menos tentar, e resolveu que essa ideia idiota do beijo iria ser a ultima atitude idiota que ele iria tomar, e ele foi, olhou nos olhos dela e disse: "Perdão! Por favor, me perdoe, pelo menos, converse comigo, por favor", ela que já estava quase chorando novamente nunca tinha ouvido palavras tão sinceras como aquelas, e sentou-se e conversou com ele, e ele não perdeu tempo: Eu fui um idiota, não sabia o que estava fazendo, fui pelo que eu achava melhor só pra mim, sem pensar em mais ninguém, e, na verdade eu não achava melhor pra mim, eles diziam que era melhor pra mim, eles me alienaram, mas não os culpo pela minha atitude, fui criança, fui besta, eu não sabia que amava tanto vocês, e que vocês me amavam, eu me deixei levar por ilusões, eu amo muito vocês, mas precisou eu passar por isso pra saber o que realmente é o amor, me desculpa, não sei nem o que dizer, nada vai mudar minha atitude, me desculpa, eu não merecia o que vocês sentiam por mim, por que hoje, já devem sentir ódio de mim." Ela chorou sem parar, eles choraram juntos, ela não sabia o que falar, ele foi enxugar suas lágrimas, mas ela recusou e com raiva disse: "Eu aprendi a enxugar minhas lágrimas sozinha, aprendi a sofrer sozinha, aprendi o que é amor de verdade, o que é saudade e sentir as dores desses sentimentos", ele então se afastou, e disse: "Eu não queria que isso tudo tivesse acontecido." Ela exclamou: Se realmente não quisesse, não teria tido atitudes tão covardes como aquelas!" ele com ar de real arrependimento completou:" Eu não tinha noção da atitude que e estava tomando, eu só tinha idade, era uma criança, agora não sei mais o que fazer, sei que não se pode mexer com os sentimentos alheios, mas vou levar o arrependimento que sinto pelo resto da vida, mas agora estou aqui, como um inútil, todo mundo me odeia, ninguém quer mais nem me ver, não tenho nem mais pra onde ir." Ela então levantou-se e estendeu a mão para ele, que depois de tanta dor em pouco tempo nunca ficou tão feliz, segurou a mão da garota, que o levantou e o abraçou dizendo: "Eu não sei se te perdoo, mas te ajudo, afinal, amigos são pra sempre." Ele entendeu e a deu razão, a menina foi andando em direção a casa dele, que foi atrás dela, sem medo, por que sabia, que nela ele podia confiar de verdade, então era o que ele pensava, estavam indo para a casa da mãe dele, chegando la ela disse: "Agora você sabe o que fazer, sua mãe está te procurando faz um tempão, e sofre todos os dias depois do que você falou pra ela no dia em que saiu de casa, depois aconteceram muitas coisas, você vai saber." Ele abraçou a menina e pediu obrigada, ela foi pra casa dela, e ele entrou na casa de sua mãe, chegou até a cozinha procurou ela, mas só viu sua irmã mais nova, a pequenina abraçou ele e disse: "Que saudade! A mamãe fala de você todos os dias, onde você andou por esses tempos mano?" Ele se emocionou e disse: "Por aí, é uma longa história, mas onde está a mamãe e a nossa irmã?" A menina respondeu: "você não sabe?" Ele fez cara de espanto e mexeu a cabeça fazendo que não, a menina ficou triste ao lembrar e disse: "A nossa irmã foi morar com papai do céu, desde então não vi mais a mamãe sorrir, ela ta lá atrás, você passou muito tempo fora mano." Então, quando ele menos espera, sua mãe aparece na porta da cozinha e sem conseguir saber o que fazer, o abraçou e não conseguiam falar mais nada, foi um abraço bem demorado, que já disse tudo, ele pediu perdão e sua mãe que deu algumas broncas nele, mas era a mãe dele, e o amava mais que todo mundo, só queria seu bem, ela tinha jeitos diferentes de dizer as coisas, então chorando, mas dessa vez de felicidade falou: "Vá para o seu quarto, deixei sua roupa em cima da cama pra depois do banho você vestir, agora vá enxugar essas lágrimas e tomar um banho!" Ele sorriu abraçou-a intensamente e disse:"Perdão novamente mãe, eu sei que fiz besteira..." Ela o interrompeu dizendo: "Eu entendo meu filho, você aprendeu com a vida, sofreu o suficiente, não vamos falar sobre isso, você já aprendeu." Ele então disse: "Mãe, eu te amo". Ele tomou banho, e foi dormir, dormiu até o outro dia, foi na casa de sua avó, falou com todos, pediu desculpas a todos, e contou as historias com vergonha de sua atitude, fez o mesmo com sua outra avó, e seu pai. O dia chegou ao fim, mas ele ainda precisava falar com as pessoas mais magoadas da história, os seus 2 amigos, ele ligou pra a sua ex e perguntou se ela poderia ir na praça conversar, ela respondeu que sim, marcaram a hora e foram, chegando lá ele pediu desculpas novamente, e pediu obrigada por tudo, ela que já tinha conversado com seus amigos e chamado eles pra irem à praça também, para todos conversarem, e o 'arrependido' se desculpar, disse:"Eu já esperava que você iria me pedir ajuda pra falar com os meninos, e eu já marquei com eles aqui, daqui a pouco" Ele sorriu e disse: "Obrigada!" Os garotos estavam chegando, e eles olharam pra ele riram e um deles disse: “Cara!Você ta péssimo, muito feio!” o outro falou:”Agente não anda com gente feia não!” O garoto riu e pediu desculpas aos amigos que responderam: “Você pisou muito feio na bola mano, nos trocou, sofremos cara! Não faz isso nunca mais, com ninguém!” A menina interrompeu: Deixa o tempo dizer se a nossa amizade vai voltar ou não, mas agora temos que ir” Em seguida todos disseram:" Tchau, foi bom falar com você novamente!" Ele deu tchau, mas desde então só viu eles depois de um tempo, e o tempo disse se a amizade iria voltar ou não. Sua atitude mudou toda a sua vida.


"Atitudes são como um bumerangue. Temos que medir a força com que o jogamos; Pois ao voltar ele pode cortar nossos dedos fora." (Fernando Stein)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário